A lição de casa serve para reforçar o que foi aprendido em sala de aula (sistematizando), para preparar o aluno para uma nova matéria que será dada em sala de aula (preparatória), e para incentivar o aluno a ir além daquilo que aprendeu em sala de aula (aprofundamento).

Nas atividades de sistematização é importante que os pais verifiquem se o filho entendeu o processo para não sistematizar de forma errada, já nas atividades preparatórias e de aprofundamento podem auxiliar o filho a fazer buscas ou sugerindo materiais interessantes que possam estimular o raciocínio.

Lembrando que Algumas crianças precisam de mais auxílio que outras, já os adolescentes costumam ser mais autônomos e preferem pedir ajuda aos colegas de classe e professores particulares. É importante que os pais deixem claro para o filho que podem solicitar ajuda sempre que precisar. Uma boa maneira de auxiliar o filho a resolver as questões do dever de casa e retomando o que foi ensinado em sala de aula, para que a própria criança consiga chegar à resposta, nunca fazendo por ela.

O pai deve estimular o filho a pensar e além disso, desenvolver a ideia de que é prazeroso aprender, ter responsabilidade e autonomia, lembrando que isso é um processo e que no início precisa de ajuda.

O erro faz parte da aprendizagem. Há pais que não aceitam que o filho erre. Sou psicopedagoga e atendo em clínica, Tenho um exemplo de uma mãe que trabalha fora, o filho faz o dever de casa em folha rascunho e a noite quando a mãe chega em casa corrige toda a lição e só depois o filho passa a limpo. Isso é um exagero e faz com que o filho reforce a ideia de que não pode errar. Isso será muito prejudicial para a vida dele, pois é errando que se aprende.

Quando o pai deixa erros na tarefa de casa, é uma oportunidade do professor perceber o que foi que o aluno não conseguiu entender e assim poderá lhe ensinar a matéria novamente, com outra metodologia. O erro serve também para analisar diversas coisas, como por exemplo, falta de atenção, concentração, dificuldade de entender enunciados, falta de aprendizado do conteúdo ministrado em sala de aula, enfim, o erro se for bem analisado e não punitivo auxilia muito o professor conhecer melhor o processo de aprendizagem de seu aluno.

Geralmente o professor tem metodologias mais adequadas para ensinar, porém existem pais que são ótimos ensinastes, com facilidade para simplificar conteúdos e torná-los atrativos por meio de jogos.

É sempre mais fácil aprender com os outros. No consultório atendo muitas crianças e adolescentes com dificuldade em aprendizagem e sempre oriento que procurem um coleguinha da classe que entendeu a matéria e que possa lhe explicar, que procure em sites sérios como por exemplo: Info Escola, Telecurso, Brasil Escola, Khan academic.

Oriento que as crianças devam reservar um horário diário para realizar suas tarefas de casa e rever o conteúdo ensinado na última aula, uma grande oportunidade de verificar se há dúvidas. Há diferença conforme a idade da criança. No ensino fundamental I precisam em torno de uma hora e as de ensino fundamental II e médio, precisam reservar de uma a duas horas diárias. Essa rotina de estudos de segunda a sexta já a auxilia para as avaliações. Se a criança ou adolescentes conseguirem realizar certinho o cronograma semanal, não necessita estudar aos finais de semana, deixando-os livre para o lazer e curtir família e amigos.

Os pais podem ficar ao lado da criança, principalmente nos primeiros anos escolares, porém deixo bem claro que o erro faz parte da aprendizagem, que os pais nunca devem fazer pelo filho e que responder as perguntas no lugar do filho atrapalha o desenvolvimento cognitivo. Pais presentes na vida escolar dos filhos irão perceber quando ele não precisa mais de ajuda.

© Copyright 2015 - A Clia Psicologia - Todos os direitos reservados. Desenvolvimento por Projeta Comunicação - Desenvolvedor Elvécio Francisco

Fale Conosco (11) 4424-1284 / (11) 2598-0732