Bullying: O que fazer ?

As agressões físicas e perseguições psicológicas vividas no ambiente escolar ocorrem há muito tempo. Porém, o aumento de casos de agressão e mortes de jovens ao redor do mundo e a popularização do termo bullying vêm incentivando a realização de maior número de pesquisas e estudos em torno do tema, bem como impulsionando pais e profissionais da área da educação na busca de formas de identificar e combate mais efetivas.

Significado do termo Bullying

O termo bullying é utilizado para explicar todo tipo de comportamento agressivo físico ou verbal que ocorre repetidamente ao longo do tempo. Humilhar, insultar, ferir física ou emocionalmente, espalhar rumores, ignorar alguém são formas de bullying comumente encontradas entre estudantes. Tais agressões, antigamente chamadas de brincadeiras de mau gosto, além de comprometer a saúde física e mental podem gerar marcas irreversíveis na vida do individuo, interferem na construção da identidade da criança e afetam negativamente as suas relações afetivas e sociais. Os conflitos internos e sentimentos gerados na criança ou adolescente que sofre o bullying acabam por reafirmar sentimentos de inutilidade e fracasso.

Pesquisas demonstram que vítimas deste tipo de violência podem apresentar distúrbios do sono, digestivo, gastrointestinais e outros sintomas psicossomáticos além de ansiedade, angustia, depressão e pensamentos suicidas. Tais sintomas podem evoluir para psicopatologias como Transtorno do Pânico, Fobia Escolar, Fobia Social, Transtorno de Ansiedade Generalizada, Depressão, Anorexia e Bulimia, Transtorno Obsessivo-Compulsivo e Transtorno do Estresse Pós-traumático e transtornos psicossomáticos por exemplo.

Quais são as Vítimas do Bullying?

As vítimas de bullying são geralmente os meninos e meninas mais vulneráveis, frágeis, tímidos, que não possuem muitos amigos, ou que sejam considerados diferentes, seja por aparência física, religião, raça, classe social, desenvolvimento acadêmico ou opção sexual.

É fundamental que os pais e a escola estejam atentos a este problema. Muitas vezes a vítima de bullying não relata a violência sofrida por medo ou vergonha. Porém, os pais podem identificar alguns sinais no comportamento da criança ou adolescente indicativo que o mesmo esteja sendo vítima de perseguição ou intimidação.

Como saber se seu filho esta Sofrendo Bullying ?

Alguns destes sinais são:

– baixa autoestima ou autoimagem
– mudanças de humor e comportamento
– sentimentos de raiva e medo sem justificativa aparente
– tristeza, choro ou irritabilidade
– maior agressividade ou isolamento em casa
– desinteresse pela escola e queda no rendimento acadêmico
– pedidos para faltar ou recusa em ir à escola
– Recusa em participar de excursões ou atividades extra-curriculares
– dificuldades em fazer amigos na escola
– perda frequente de materiais na escola
– machucados ou contusões com justificativa frequente de queda
– pedidos para que os pais ou transporte escolar não se atrasem para busca-lo
– problemas de saúde
– pesadelo e dificuldades no sono
– alterações no apetite
– evitação de relações sociais, com crianças e adultos
– sinais de ansiedade

O que fazer se seu filho estiver sofrendo Bullying?

Ao identificar sinais de que o filho ou filha esteja sofrendo bullying, é importante que os pais busquem investigar o que está acontecendo. Dialogar com a criança ou adolescente de forma carinhosa e acolhedora, assegurando-a de seu afeto, compreensão e de que estará em segurança conversando sobre o assunto pode ajudar a descobrir o que está acontecendo. Outro caminho que deve ser seguido é buscar a coordenação e dividir sua preocupação solicitando informações e supervisão para que a escola ajude a detectar o que está acontecendo.

Em casos em que o relato parte espontaneamente da criança ou adolescente, é fundamental que os pais escutem com atenção e acolhimento o que está sendo contado, reconhecendo sua coragem e assegurando-lhe que ela/ele não está sozinho e que juntos irão resolver esta situação.

Controlar as próprias emoções e estabelecer um vínculo de empatia é fundamental para que o filho ou filho forneça toda a informação necessária para que, junto com a escola, sejam criadas estratégias e ações urgentes e efetivas para solucionar o problema. Falar sobre o bullying não é simples, e os pais devem reassegurar aos filhos que tem esta coragem de que eles não são culpados do que está acontecendo, que muitos outros vivem a mesma situação e continuam sofrendo porque não conseguem pedir ajuda, ajude-o a refletir sobre a própria cultura familiar e jamais incentive-o a reagir com agressividade.

É importante trazer o assunto Bullying a mesa!

Conversar sobre bullying em casa é fundamental para que os filhos saibam que existe um espaço para esta discussão e conheçam a posição dos pais sobre o assunto. Notícias e filmes sobre o assunto são excelentes oportunidades para iniciar a conversa e ouvir atentamente o que o filho tem a dizer sobre isso.

Família e escola devem formar uma sólida aliança para acompanhar e educar as crianças e adolescente, colaborando para seu desenvolvimento psíquico, emocional, social e intelectual, e precisam estar juntos na identificação e criação de estratégias de combate ao bullying.

Write a comment:

*

Your email address will not be published.

© Copyright 2015 - A Clia Psicologia - Todos os direitos reservados. Desenvolvimento por Projeta Comunicação - Desenvolvedor Elvécio Francisco

Fale Conosco (11) 4424-1284 / (11) 2598-0732